0
Com 2,2 hectares, o Centro de Tecnologia do Alumínio vai integrar o Parque de Ciência e Tecnologia do Guamá, em Belém, dando suporte às operações de alumínio da Vale, desde a análise de caracterização das jazidas de bauxita e o aprimoramento da tecnologia da alumina até novas pesquisas em mineração. O laboratório também servirá de base para formar e qualificar mão-de-obra. O investimento da Vale no projeto é de R$36 milhões. As obras começam em 2010, com previsão de entrega no final de 2012, mesmo período em que será concluída a primeira fase da nova refinaria da Vale e os projetos de expansão de alumina em Paragominas. A mineradora produz anualmente 22 milhões de toneladas de bauxita e 4,6 milhões de toneladas de alumina. Entre 2002 e 2013, o planejamento estratégico para área de alumínio é de quintuplicar a produção. A ideia é que o centro, somado à expertise tecnológica, permita sinergia entre governo, empresas e instituições de pesquisa de forma a alavancar a produção local e aproveitar não apenas os resultados obtidos na área de mineração como também avanços em outros setores, como por exemplo, o energético.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Bila Gallo na marca do pênalti

Anterior

Gestão ambiental compartilhada

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *