Em 17 de agosto é celebrado o Dia do Patrimônio Histórico. A Lei nº 378/1937, no governo Getúlio Vargas, criou o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, a fim de proteger e preservar os bens culturais do país, marcando…

A incorporação do território da então Província do Grão Pará e Rio Negro ao Império Brasileiro, fruto de um engodo, ensejou em poucos meses a tragédia do brigue Palhaço e, mais de dez anos depois, a sangrenta Cabanagem, mas esse…

O juiz Jonatas dos Santos Andrade renunciou à presidência da Amatra 8 – Associação dos Magistrados Trabalhistas da 8ª Região e vai assumir o cargo de Juiz Auxiliar da Presidência do Conselho Nacional de Justiça, a convite da ministra Rosa…

Quando todos apostavam em uma radicalização que causasse esgarçamento das relações empresariais na cúpula das indústrias instaladas no Pará, a diretoria da Federação das Indústrias do Estado do Pará, liderada por José Conrado Santos e José Maria Mendonça, deu uma…

Carpinteiros navais

A carpintaria naval é uma ciência amazônica: os caboclos não têm estudos náuticos, mas são capazes de fazer barcos com perfeição. No Pará, em todos os municípios ribeirinhos há craques nesse ofício.

Pesquisadores do Museu Goeldi inventariam espécies vegetais usadas na construção de embarcações por moradores da Comunidade de Vila da Penha, na Resex Maracanã.

Nos cascos, construídos com peça única – um tronco de árvore é escavado, depois atracado com madeira e cipós para secar e forçar a abertura na medida desejada -, as espécies utilizadas são Gonçalo e Tatajuba. Já nas canoas, que podem ser movidas a vela ou a motor, são usadas as mesmas espécies dos cascos, e na lateral tábuas de Louro Itauba. Nas lanchas e barcos de pesca, o fundo é de Piquiá ou Sapucaia. No toldo e no convés, Angelim Vermelho, Sucupira Amarela e Cumaru; para a quilha, Ipê amarelo e, nas laterais e na cobertura, o Louro Itauba.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *