0

O cacique Kayapó Raoni Metuktire, gigante aos 92 anos em sua luta pela Amazônia ao longo da vida inteira, condecorado pelo presidente Emmanuel Macron com a Legião de Honra, a mais importante honraria da França.

Em 1954, Raoni teve o primeiro contato com os homens brancos. Para sorte dele, eram os irmãos indigenistas Orlando, Cláudio e Leonardo Villas-Bôas, que lhe ensinaram Português e o apresentaram ao rei Leopoldo III da Bélgica, quando fazia uma expedição pelo Brasil em 1962.

Em artigo de opinião no jornal The Guardian, da Inglaterra, em 2020, o cacique Raoni fulminou: “Nós todos respiramos o mesmo ar, nós todos bebemos a mesma água. Nós vivemos nesse único planeta. Nós precisamos proteger a Terra. Se não fizermos isso, os grandes ventos virão e destruirão a floresta. E então vocês vão temer o que nós sentimos.”

Fotos de Raimundo Paccó

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Macron em microcosmo amazônico

Anterior

O canto de Raoni

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *