0
Amanhã, militares do Exército, representantes da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos, peritos em geologia, odontologia, medicina legal e outras áreas, da Universidade Federal de Brasília e do Museu Emílio Goeldi, começam a demarcar a região entre o Pará e Tocantins onde serão feitas escavações para o resgate dos corpos das vítimas da guerrilha do Araguaia, começando em oito cemitérios nos municípios de São Domingos do Araguaia e Palestina. A UEPA e o Instituto Renato Chaves participarão nas próximas etapas das buscas. A operação é fruto de portaria do Ministério da Defesa, em cumprimento a ordem judicial do STJ, acionado pelos familiares dos desaparecidos.
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Vivam, Juca e Raimundo José!

Anterior

Segurança Cidadã

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *