Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Hoje, dia 23 de julho de 2021 às 19h, o Instituto Histórico e Geográfico do Pará realizada a nona “Live em Memória” da programação alusiva aos 121 anos do Silogeu, desta vez em homenagem ao centenário de nascimento do Almirante…

Ave, Waldemar Henrique

Para lembrar o grande maestro, neste sábado, a programação “Memórias de Waldemar Henrique” vai expor o acervo que ele deixou, além de lançar um DVD-ROM comemorativo, com a vida e obra do músico. A pesquisa e o tratamento das peças começaram em 2005. A salvaguarda e preservação envolve documentação, registro, catalogação, inventário e restauro, além de ações educativas, fazendo a ponte entre os museus e a sociedade.

A coleção Waldemar Henrique é composta por objetos pessoais, cadernos de música, correspondências, recortes de jornais, diários, partituras e fotos, de enorme valor histórico e cultural para o povo paraense.

O maestro Waldemar Henrique da Costa Pereira nasceu em Belém no dia 15 de fevereiro de 1905. Pianista, compositor e regente, estudou no conservatório Carlos Gomes e no Rio de Janeiro. Inovou e rompeu fronteiras com temas amazônicos, unindo o erudito ao popular, e se apresentou Brasil afora e em vários países, como Portugal e Espanha. Dirigiu o Theatro da Paz, o Departamento de Cultura do Rio de Janeiro e foi eleito para a Academia Brasileira de Música. Compôs mais de 120 canções, entre elas as famosas “Boi-Bumbá“, “Curupira“, “Matintaperera“, “Tamba-Tajá” e o “Uirapuru“. Morreu no dia 27 de março de 1995.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *