Para marcar os quinze anos de criação das Florestas Estaduais de Faro, Trombetas e Paru, da Estação Ecológica Grão-Pará e da Reserva Biológica Maicuru, na Calha Norte, hoje (4), o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) lançou…

Lançamentos literários, apresentações de teatro, oficinas voltadas para as culturas pop e japonesa, arrecadação de livros, atividades pedagógicas e lúdicas direcionadas ao público infantil, entre outras ações, estão no cardápio de cultura e arte servido aos visitantes do estande da…

O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Ave, Waldemar Henrique

Para lembrar o grande maestro, neste sábado, a programação “Memórias de Waldemar Henrique” vai expor o acervo que ele deixou, além de lançar um DVD-ROM comemorativo, com a vida e obra do músico. A pesquisa e o tratamento das peças começaram em 2005. A salvaguarda e preservação envolve documentação, registro, catalogação, inventário e restauro, além de ações educativas, fazendo a ponte entre os museus e a sociedade.

A coleção Waldemar Henrique é composta por objetos pessoais, cadernos de música, correspondências, recortes de jornais, diários, partituras e fotos, de enorme valor histórico e cultural para o povo paraense.

O maestro Waldemar Henrique da Costa Pereira nasceu em Belém no dia 15 de fevereiro de 1905. Pianista, compositor e regente, estudou no conservatório Carlos Gomes e no Rio de Janeiro. Inovou e rompeu fronteiras com temas amazônicos, unindo o erudito ao popular, e se apresentou Brasil afora e em vários países, como Portugal e Espanha. Dirigiu o Theatro da Paz, o Departamento de Cultura do Rio de Janeiro e foi eleito para a Academia Brasileira de Música. Compôs mais de 120 canções, entre elas as famosas “Boi-Bumbá“, “Curupira“, “Matintaperera“, “Tamba-Tajá” e o “Uirapuru“. Morreu no dia 27 de março de 1995.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *