0

Um dos mais belos cartões postais de Belém está literalmente entregue às baratas. A sujeira na Estação das Docas é visível, nas paredes, no piso, nos banheiros, no mau cheiro que exala pela falta de exaustores. Para completar, os recipientes transbordantes de lixo ficam agora expostos com destaque na calçada frontal da fachada que dá para o casario do boulevard Castilhos França.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

É o fim

Anterior

Beijo na boca

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *