O trânsito continua matando mais do que muitas guerras. A administradora Gina Barbosa Calzavara, coordenadora dos bosquinhos da Universidade Federal do Pará, fez uma emocionante homenagem à memória do jovem Jean Serique Lameira, esportista do ciclismo e que também usava…

O Laboratório de Engenharia Biológica do Parque de Ciência e Tecnologia - PCT Guamá está estudando o sequenciamento genético do açaí, de modo a assegurar a rastreabilidade de ponta a ponta na cadeia produtiva e padrões de qualidade para os…

A Lei estadual nº 9.278/2021, que entrou em vigor em 30 de junho deste ano, instituindo a obrigação de que pessoas residentes em condomínios, conjuntos habitacionais e similares comuniquem à Polícia Civil, de forma imediata, qualquer tipo de agressão praticada…

A poluição atmosférica mata sete milhões de pessoas no mundo a cada ano. Os dados são da ONU, e apontam a urgência de medidas a fim de reduzir a emissão de poluentes gerados pelo transporte. É questão de saúde pública…

Alepa vai resgatar memória do Araguaia

Pela primeira vez está sendo feito o resgate da memória do Legislativo parauara. Desde que assumiu a presidência da Alepa, em 2013, o deputado Márcio Miranda já lançou luzes sobre vários períodos que permaneciam obscuros na história do Pará. Em carta-compromisso apresentada durante o 1º Seminário Nacional de Memória, Anistia e Direitos Humanos do Araguaia, realizado em Marabá nos dias 19 e 20 de maio, ele anunciou que vai levantar os requerimentos, moções e pronunciamentos feitos na Assembleia Legislativa, relacionados à guerrilha do Araguaia e suas consequências. Já foram localizados vários discursos dos saudosos deputados Paulo Fonteles, João Batista e Neuton Miranda, além dos de Romero Ximenes, Edmilson Rodrigues, Aida Maria e Raimundo Marques, denunciando torturas psicológicas e físicas, privações na selva, relatos macabros de corpos amarrados pelos pés pendurados em helicópteros que sobrevoavam a região sul do Pará.

Na ocasião, muito emocionado, o filho de Paulo e Hecilda Fonteles, Paulo Fonteles Filho, nascido na prisão durante a ditadura militar, foi à tribuna abraçar Márcio Miranda(DEM), que também foi abraçado pela irmã de Paulinho, Juliana Fonteles, pelo deputado federal Edmilson Rodrigues(PSol), pelo deputado estadual Lélio Costa(PCdoB), pela ex-deputada Sandra Batista(PCdoB), pelo dirigente do PCdoB Jorge Panzera e por Sezostrys Alves, da Associação dos Torturados do Araguaia. Autoridades políticas, lideranças indígenas, camponeses, pesquisadores, movimentos estudantis, familiares de torturados e desaparecidos políticos do Araguaia e representantes de instituições nacionais e locais ligadas à área de Direitos Humanos estavam lá nesse evento, em memória aos 45 anos da guerrilha do Araguaia.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *