Governador do Pará e presidente do Consórcio de Governadores da Amazônia Legal, Helder Barbalho está com agenda intensa em Brasília, e em reunião com Lula nesta sexta-feira (27) apresentou documento proposto pelo CAL. Para o desenvolvimento regional do bioma amazônico,…

O Papa Francisco nomeou o atual bispo da prelazia de Marajó (PA), Dom Evaristo Pascoal Spengler, bispo de Roraima (RR), que estava sem titular há um ano, desde a transferência de Dom Mário Antônio da Silva para a arquidiocese de…

Utilizar o futebol como ferramenta de transformação social para crianças e adolescentes de todo o Pará é o objetivo do projeto "Futebol Formando Cidadão", que será lançado neste domingo (29) no oeste paraense. A iniciativa é do Tapajós Futebol Clube,…

No próximo sábado, 28, é o Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo. Esta semana, foram divulgados dados da Secretaria de Inspeção do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) referente a 2022, quando foram resgatados 2.575 trabalhadores em condições análogas…

Alepa pede agilidade à polícia

Os três presos pela morte da empresária. Foto: ascom Polícia Civil

Repercutiu intensamente na Assembleia Legislativa o vídeo que circula nas redes sociais no qual o ex-cabo da Polícia Militar do Pará e ex-vereador Maurício da Luz Ramos, preso como agenciador do assassinato da empresária e funcionária pública municipal de Paragominas Maria Augusta da Silva, 62 anos, aparece algemado, em uma viatura, acusando o deputado estadual Sidney Rosa, o secretário de Estado Adnan Demachki e o prefeito de Paragominas, Paulo Tocantins, de envolvimento no crime.


Na tribuna, Sidney Rosa afirmou sua inocência, de Adnan Demachki e de Paulo Tocantins, e denunciou que os três são vítimas de tentativa de chantagem e extorsão. Foi aparteado e apoiado pelos deputados Cássio Andrade, Luiz Afonso Sefer, Eraldo Pimenta, Martinho Carmona, Carlos Bordalo, Hildegardo Nunes e Márcio Miranda. Todos estranharam que o vídeo tenha sido gravado no interior do veículo que conduzia o preso, e não durante audiência perante um juiz ou representante do Ministério Público. 

O presidente da Alepa, deputado Márcio Miranda, vai oficiar ao delegado-geral Rilmar Firmino pedindo celeridade na investigação, a fim de que tudo seja prontamente esclarecido. O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia, Carlos Bordalo, manifestou solidariedade, inclusive em nome da bancada do PT, sustentando que a criminalização dos políticos só interessa aos que não têm compromisso com a democracia.

Em nota conjunta, Sidney Rosa, Adnan Demachki e Paulo Tocantins repudiaram as acusações e qualquer ato de violência, e anunciaram que estão requerendo das autoridades a devida investigação e responsabilização, nos âmbitos administrativo e judicial (cível e penal), do autor dos comentários e dos que fizeram a gravação e a divulgaram.

Conforme a polícia, Maurício e Charles Charles Sarmento de Lira – que está foragido – pretendiam montar negócio na reciclagem do lixão da Prefeitura de Paragominas, mas a vítima, detentora da concessão do serviço no município, era considerada um empecilho.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *