1

O “Borqueio” – corruptela cabocla de bloqueio – , como é chamado o grande círculo de embarcações que apanha o mapará – marca todo dia 1° de março a retomada da pesca na região do Tocantins, depois de quatro meses do período de defeso em que a pesca da espécie é proibida. Só hoje, conforme dados da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), foram capturadas 150 toneladas de mapará em 55 localidades de Cametá.
Todos os municípios da região do Tocantins mantêm a tradição de doar para a população necessitada um percentual do quantitativo capturado durante o “Borqueio”.

Em Oeiras do Pará, inclusive, o mapará não só é doado para população carente como é preparado – cozido ou frito – e servido à população”.

A pesca do Mapará é Patrimônio Cultural e Imaterial de Cametá, e faz parte do calendário oficial de eventos do município.

Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, presidente da Academia Paraense de Jornalismo, membro da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Prefeitura de Belém celebra Benedicto Monteiro nas escolas

Anterior

O Projeto Porto Futuro II

Próximo

Vocë pode gostar

1 Comentário

  1. Fartura na mesa do povo de Cameta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *