A sesquicentenária samaumeira que perdeu seus galhos na madrugada desta segunda-feira (6) é memória afetiva de todos os paraenses e até de gente de fora do Pará e do Brasil que frequenta Belém durante o Círio de Nazaré. Localizada em…

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará oficializou o resultado da eleição suplementar em Viseu 39 minutos após o encerramento da votação. Foi eleito prefeito Cristiano Vale (nº 11 – PP – Voltando pra Cuidar da Gente) e vice-prefeito Mauro da…

Nem bem foi inaugurado, e ainda faltando a instalação dos bancos e finalização, o calçadão da Avenida Beira-Mar, em Salinópolis, sofreu diversas avarias. A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras acionou a empresa responsável pela obra, que está executando ações…

A expectativa era grande em relação à ida do governador Helder Barbalho à Assembleia Legislativa para a leitura da Mensagem na instalação da 61ª Legislatura. Funcionou como uma espécie de termômetro da Casa, que abriga novos deputados na oposição, e…

A conduta dos Neves e a lição de Tancredo

O senador Aécio Neves vai pedir ao STF, amanhã, a revogação de seu afastamento do mandato. Alega que a gravação feita por Joesley Batista foi uma conversa de cunho particular. Obviamente, apesar de ter começado muito cedo na política pelas mãos de seu avô, Tancredo Neves, figura proeminente da República desde a era de Getúlio Vargas e que soube como ninguém atravessar duas ditaduras com uma capacidade ímpar de articular e conciliar, Aécio não aprendeu as lições e não fez o dever de casa. 

Tancredo ouvia muito e tinha uma capacidade extraordinária de formular, coordenar e, sobretudo, de acertar. Aécio é atropelado pela própria língua. Suas expressões chulas flagradas na gravação não condizem, absolutamente, com o que se espera de um senador da República que por pouco não se elegeu presidente da República. Tal qual o ex-presidente Lula quando também flagrado ao telefone, seu vocabulário está abaixo da linha da miséria moral.

Entre outras funções relevantes, Tancredo Neves foi advogado, vereador, deputado federal, senador e governador de Minas Gerais, além de Ministro da Justiça, primeiro-ministro do primeiro gabinete parlamentarista no governo João Goulart e primeiro presidente da República civil eleito após a ditadura militar. Deve estar se revirando no túmulo com a conduta de seus netos Aécio e Andrea.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *