Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

Sugestão para os 400 anos de Belém

Eu não fui convidada para integrar a comissão encarregada dos festejos dos 400 anos de Belém nem pediram a minha opinião, mas mesmo assim vou dar uma série de sugestões ao prefeito Zenaldo Coutinho, como cidadã que ama Belém, cidade que adotei há mais de 30 anos.  

Belém é mal sinalizada. E sequer seus habitantes conhecem o significado dos nomes atribuídos aos seus bairros e vias públicas. Nem todas as ruas têm placas indicativas e muitas delas estão com seus nomes grafados com erros grotescos de Português, verdadeiro lixo ortográfico. A Prefeitura prestaria grande serviço à História, à Educação e ao turismo, facilitando inclusive a mobilidade urbana, com uma campanha de identificação de todos os bairros e ruas, com placas adicionais contando o porquê de cada denominação, como forma de resgate da memória do município. Nas áreas tombadas como Patrimônio Histórico, Artístico, Arquitetônico, Paisagístico e Ambiental e nos sítios arqueológicos, as edificações  mais relevantes deveriam ter sua história contada resumidamente em placas, assim como deveriam ser identificados os lugares onde vultos da Literatura, da Música e das artes plásticas residiram ou elaboraram sua produção.

Nada disso é difícil ou complicado nem configura invenção da roda. E tudo pode ser executado sem criar despesas aos cofres públicos, em parceria com a iniciativa privada, que certamente lucraria com a exposição de suas marcas nas placas, além de sua imagem ficar associada à beleza da cidade e ao cuidado com ela.

Aproveito para sugerir o mesmo ao prefeito Alexandre Von, da minha amada terra natal, Santarém, e a todos os prefeitos que querem cuidar bem de suas cidades e fazer delas um lugar aprazível para moradores e visitantes.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *