Hoje a Assembleia Legislativa do Pará retomou seus trabalhos no segundo período legislativo do terceiro ano da da 19ª Legislatura, de forma totalmente presencial, apesar da reforma do prédio sede do Palácio Cabanagem e do próprio plenário Newton Miranda. Após…

Em visita oficial, a Academia Paraense de Jornalismo e a Comissão de Defesa do Patrimônio Histórico do Instituto Histórico e Geográfico do Pará pediu ao prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, o veto à alteração dos nomes da Rua da Municipalidade…

O IV Distrito Naval da Marinha do Brasil, em parceria com o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), Praticagem da Barra do Pará, Sociedade Amigos da Marinha Pará, Secretarias de Saúde de Barcarena e do Estado do Pará, Tribunal…

Guy Veloso, filho do saudoso jurista, notário e político Zeno Veloso, plantou em sua memória um pé de baobá na Universidade Federal do Pará, onde o ilustre parauara se destacou como professor de direito civil e direito constitucional, formando gerações…

O gran finale do festival de Ópera do TP

Foto: Geraldo Ramos
O concerto ao ar livre que encerrou o Festival de Ópera do Theatro da Paz, na noite de sábado (19), na Praça da República, em Belém, foi tudo de bom. O Coro Lírico estava estupendo e deu aquele efeito arrepiante de emoção, sob a batuta segura do maestro Vanildo Monteiro. Mas o ponto alto, sem dúvida, foi quando o tenor Fernando Portari cantou a barcarola “Je crois entendre encore” (Eu creio ainda ouvir), escrita por Georges Bizet em sua ópera “Os Pescadores de Pérolas” com uma linha melódica que já havia aparecido na Sinfonia em Dó, de 1855, do próprio Bizet. É uma das árias mais sublimes que já foram compostas,  também conhecida na sua versão italiana “Mi par d’udire ancora”, usada como tema principal do filme “The Man Who Cried” (Por que choram os Homens), escrito e dirigido por Sally Potter e estrelado por Johnny Depp, Cate Blanchett e John Turturro. Vale ouvir também a gravação com David Gilmour, do lendário Pink Floyd (assistam aqui).

Outros destaques foram a execução de “Nessum Dorma “(Ninguém dorme), da ópera Turandot, de Puccini, que se eternizou na voz de Luciano Pavarotti (vejam aqui), e a conhecida ária do “Toureador”, de Carmen, de Bizet. Os solistas paulistanos Leonardo Neiva, Camila Titinger e os paraenses Andrey Mira e Mar Oliveira cantaram impecavelmente e foram muito aplaudidos, assim como as sopranos parauaras Thaina Souza, Lanna Bastos, Ione Carvalho e Kézia Andrade. A bailarina de flamenco Astrid Maria apresentou solo de um trecho de “Carmen” e também foi muito aplaudida. A Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz, regida pelo maestro Miguel Campos Neto, que também foi o diretor geral do concerto, se afirma cada vez mais pela excelência.

No gran finale, ao som do Hino do Pará, com todos os cantores no palco, a bandeira do Estado foi erguida no alto do Theatro da Paz, em meio a uma chuva de papel prateado picado. Os diretores artísticos do Festival, Gilberto Chaves e maestro Mauro Wrona, estão de parabéns, assim como o secretário de Cultura, Paulo Chaves, e já estão projetando a edição do ano que vem, que promete ser ainda mais bonita, pelos 400 anos de Belém e pelos 120 anos de morte do compositor Carlos Gomes, justamente em Belém. O governador Simão Jatene, acompanhado da esposa, Ana Jatene, assistiu ao concerto em meio ao público e fez mistério quanto à programação de 2016.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *