Para marcar os quinze anos de criação das Florestas Estaduais de Faro, Trombetas e Paru, da Estação Ecológica Grão-Pará e da Reserva Biológica Maicuru, na Calha Norte, hoje (4), o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) lançou…

Lançamentos literários, apresentações de teatro, oficinas voltadas para as culturas pop e japonesa, arrecadação de livros, atividades pedagógicas e lúdicas direcionadas ao público infantil, entre outras ações, estão no cardápio de cultura e arte servido aos visitantes do estande da…

O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Nomeado Conselho de Justificação da PM

O governador Simão Jatene publicou hoje no Diário Oficial do Estado decreto nomeando o Conselho de Justificação destinado a apurar as supostas faltas funcionais dos policiais militares envolvidos na série de homicídios em diversos bairros de Belém na noite do dia 4 de novembro de 2014, depois do assassinato do cabo PM Antônio Marco da Silva Figueiredo. A medida acolhe requisição do promotor de Justiça Militar Armando Brasil Teixeira.

Após o crime que vitimou o Cabo PM Figueiredo, um clima de pânico e violência se instaurou na região metropolitana. A situação foi agravada pelo envio indiscriminado de mensagens de texto e imagens através das redes sociais. Naquela noite foram consumados cerca de 10 homicídios e, em tese, os oficiais justificantes capitão Jacson Sobrinho, 1º tenente PM Carlos Eduardo Memória, 2º tenente PM Cássio Rogério Dantas Garcia e 2º tenente PM Mônica Amorim dos Santos estavam de serviço na área onde ocorreu o crime que vitimou o cabo PM Figueiredo. No entendimento do MP militar, teriam, em tese, adotado conduta omissiva, dando causa às mortes nos bairros do Guamá, Terra Firme, Jurunas e Marco. 

Segundo o MP, o cabo PM Figueiredo, nesse fatídico dia, portava duas armas de fogo, uma particular e outra da PM. O cabo PM Coutinho teria recolhido a arma de uso particular e repassado ao oficial justificante 1º tenente PM Carlos Eduardo Memória e este, por sua vez, teria apresentado o armamento a quem de direito somente na manhã do dia seguinte. 

O Conselho será presidido pelo tenente coronel QOPM Cláudio José de Oliveira Gifoni, terá como relator o major QOPM Venício de Oliveira Barbosa e escrivão o major QOPM Alfeu Bulhões Leite, todos do Comando Geral da PM. Os oficiais investigados estão afastados das suas funções, à disposição do Conselho de Justificação. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *