Nesta quinta-feira, dia 21, até o sábado, 23, a Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Pará oferece os cursos de qualificação e atualização do projeto Forma Alepa/Elepa Itinerante em Santarém, atendendo toda a região do Baixo Amazonas, abrangendo também…

Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

As pontes da Transamazônica

O sofrimento dos moradores da Transamazônica é proverbial. Há décadas as promessas se sucedem e se renovam, mas o abandono pelo governo federal é inegável. A pavimentação daquela que deveria ser uma rodovia de integração nacional se converteu numa saga que parece não ter fim. Atoleiros, lama, poeira, buracos, pontes caídas são itens de uma história pavorosa que, ano após ano, resulta invariavelmente em municípios isolados, com risco de desabastecimento, além de todas as demais desgraças imagináveis em um rincão que parece esquecido pela União. A ponte sobre o rio Arataú, na BR-230, em Pacajá, sudoeste do Pará, caiu no dia 05 de agosto, justamente na hora em que dois veículos passavam por ela. O Departamento Nacional de Transporte (Dnit) construiu um desvio de forma emergencial, mas a estrutura não aguentou as chuvas e desabou. Pelo menos dois mil caminhoneiros estão parados, além da população de toda a região isolada com o desmoronamento. O governo federal informou que, para recuperar a ponte, tem que primeiro licitar e provavelmente só no segundo semestre do ano que vem a obra será iniciada. Enquanto isso, há uma empresa no local para fazer uma obra emergencial. 

Na Transamazônica, de Itupiranga a Rurópolis, há 61 pontes, todas em péssimo estado. O lote de 12 pontes que vai do município de Anapu até Medicilândia ficou de ser licitado agora em novembro; já as demais no início do segundo semestre de 2015, diz o deputado Aírton Faleiro(PT), que está se empenhando em uma solução para o problema.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *