Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Hoje, dia 23 de julho de 2021 às 19h, o Instituto Histórico e Geográfico do Pará realizada a nona “Live em Memória” da programação alusiva aos 121 anos do Silogeu, desta vez em homenagem ao centenário de nascimento do Almirante…

As pontes da Transamazônica

O sofrimento dos moradores da Transamazônica é proverbial. Há décadas as promessas se sucedem e se renovam, mas o abandono pelo governo federal é inegável. A pavimentação daquela que deveria ser uma rodovia de integração nacional se converteu numa saga que parece não ter fim. Atoleiros, lama, poeira, buracos, pontes caídas são itens de uma história pavorosa que, ano após ano, resulta invariavelmente em municípios isolados, com risco de desabastecimento, além de todas as demais desgraças imagináveis em um rincão que parece esquecido pela União. A ponte sobre o rio Arataú, na BR-230, em Pacajá, sudoeste do Pará, caiu no dia 05 de agosto, justamente na hora em que dois veículos passavam por ela. O Departamento Nacional de Transporte (Dnit) construiu um desvio de forma emergencial, mas a estrutura não aguentou as chuvas e desabou. Pelo menos dois mil caminhoneiros estão parados, além da população de toda a região isolada com o desmoronamento. O governo federal informou que, para recuperar a ponte, tem que primeiro licitar e provavelmente só no segundo semestre do ano que vem a obra será iniciada. Enquanto isso, há uma empresa no local para fazer uma obra emergencial. 

Na Transamazônica, de Itupiranga a Rurópolis, há 61 pontes, todas em péssimo estado. O lote de 12 pontes que vai do município de Anapu até Medicilândia ficou de ser licitado agora em novembro; já as demais no início do segundo semestre de 2015, diz o deputado Aírton Faleiro(PT), que está se empenhando em uma solução para o problema.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *