O juiz Jonatas dos Santos Andrade renunciou à presidência da Amatra 8 – Associação dos Magistrados Trabalhistas da 8ª Região e vai assumir o cargo de Juiz Auxiliar da Presidência do Conselho Nacional de Justiça, a convite da ministra Rosa…

Quando todos apostavam em uma radicalização que causasse esgarçamento das relações empresariais na cúpula das indústrias instaladas no Pará, a diretoria da Federação das Indústrias do Estado do Pará, liderada por José Conrado Santos e José Maria Mendonça, deu uma…

Os botânicos Fúvio Oliveira e Rafael Gomes, doutorandos do Programa de Pós-graduação em Botânica Tropical do Museu Paraense Emílio Goeldi e Universidade Federal Rural da Amazônia, concorreram com 86 jovens cientistas do mundo inteiro e estão entre os 23 contemplados…

Na próxima terça-feira, dia 16, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Chicão, deverá incluir na pauta do plenário a apreciação do Processo nº 7/2022, encaminhado pelo Tribunal de Contas do Estado, tratando da prestação de contas do Governo do Pará…

A banalização da violência

O
presidente do Iterpa e procurador de carreira Carlos Lamarão, que sempre se
destacou pelo combate à máfia fundiária que há décadas assola o Pará, foi
assaltado à mão armada, anteontem à noite, na Arterial 18, em Ananindeua, em
frente à academia onde malha. Levaram todos os seus pertences e até o carro,
ainda não recuperado pela polícia.
Na
semana retrasada, o promotor de justiça Edson Augusto Cardoso de Souza, dos
mais atuantes no MPE e que brilhou nos julgamentos mais emblemáticos de crimes
pela posse da terra, como o dos executores e mandantes do assassinato da Irmã
Dorothy Stang e do sindicalista José Dutra da Costa, o Dezinho, também ficou
sob a mira de uma arma, defronte à sua residência, e teve que entregar até a
aliança de casamento.
Os
fatos preocupam ainda mais porque não é segredo para ninguém que ambos são
jurados de morte pela bandidagem, o que a ausência de proteção facilita em
muito.
Enquanto
isso, a Segup continua a insistir que a violência foi reduzida pela metade.
Convém um choque de realidade para que acorde e perceba que a população vive
aterrorizada, na capital e no interior. Se as autoridades são vítimas, imaginem
o Zé Povinho.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *