Gastronomia

VINHOS, COMIDA E SEXO

Clique para ampliar a imagem Desde os tempos da Grécia e de Roma antigas já se falava dos afrodisíacos. Alguns ingredientes eram considerados assim por terem substâncias capazes de aumentar a fertilidade. Outros estavam ligados ao sexo por lembrarem formas dos órgãos sexuais masculinos ou femininos.



Ostras

Sem a menor sombra de dúvida, a ostra é a mais sensual das comidas. Sua textura e seus aromas nos remetem diretamente ao mar, à praia e a pensamentos sensuais.

O sátiro Juvenal, no segundo século d.C., descreve a atitude lasciva das mulheres depois de tomarem vinho e comerem ostras gigantes.

Para combinar com esta iguaria, uma boa opção são os vinhos feitos perto do mar. A região francesa de Muscadet de Sèvre et Maine é uma ótima pedida, assim como os brancos do sul da Itália, como o Greco di Tufo. A casa Vila Francioni, em Santa Catarina, também tem um sauvignon blanc que combina bem. Já mais distante do mar, os vinhos de Chablis são ótimos, assim como os secos da região da Alsácia, ambos na França. Alguns dizem que o aumento do desejo causado pela ostra se dá pelo fato de ela ser o alimento com maior teor em zinco (150 mg/g), elemento fundamental pela potência masculina.



Gengibre

Atrás da ostra, em quantidade de zinco, vem o gengibre. Considerado afrodisíaco, não apenas pelo zinco, mas por seu sabor picante e aromático, assim como as misturas da sensual cozinha de algumas regiões da China, Tailândia e Índia. Para pratos salgados onde esta delícia predomine, escolha vinhos das uvas gewürztraminer e riesling. Na região da Alsácia há ótimos exemplares, assim como na Alemanha. As duas uvas são ricas e aromáticas. Em caso de dificuldade para encontrar rótulos desta variedade, busque um sauvignon blanc de uma região perto do Pacífico, no Chile. Eles são frescos, mas maduros e com boa intensidade.



Erva aromáticas

Em geral, são muito afrodisíacas. O manjericão, a salsinha, o tomilho e o orégano, com seus aromas frescos e intensos, não apenas estimulam o desejo, mas, diz-se, aumentam a fertilidade. O livro As Mil e Uma Noites conta a história de um mercador que tentou ter filhos por 40 anos. Quando tomou uma mistura que continha sementes de coentro finalmente conseguiu. Já a mostarda estimula glândulas sexuais e aumenta o desejo.

Comidas à base destes temperos, como carnes, ficam bem com alguns vinhos italianos. As uvas negroamaro, aglianico, barbera e corvina, que são quentes e fortes, e trazem aromas de terra e ervas, são boas parceiras. Pestos, chimichurris e molhos de ervas também ficam ótimos com vinhos da uva carmenère, de excelentes resultados no Chile e também por aqui pelo Brasil.



Alho

O alho parece ser o rei dos afrodisíacos, por mais estranho que isto possa soar. Os monjes tibetanos eram proibidos de entrar nos monastérios quando consumiam alho. Ezra HaSofer, líder dos judeus no século VI a.C., decretou que se comesse alho no shabat (dia sagrado da semana), pois o alho "promove o amor e aumenta o desejo". O próprio Talmud (um dos livros do judaísmo) recomenda o consumo nesse dia. Religião à parte, sabe-se que, entre os tantos benefícios trazidos à saúde pelo alho, ele melhora a circulação sanguínea. Além disso, ajuda na produção de uma enzima (óxido nítrico sintase – calma) que, segundo estudos, é excelente para a ereção (uau!!). Já li que os romanos comiam alho para ganhar coragem. Bem, indo ao vinho, para combinar com alho, vinhos apimentados no estilo cabernet sauvignon do novo mundo (principalmente do Maipo, no Chile, e da Califórnia), do sul da França e os reservas espanhóis.



Figo, cereja e morango

Dentre as frutas, o figo, por sua forma e sabor, chama o amor. Frutinhas do tipo groselhas, cerejas e morangos são incríveis para comer com a pessoa amada e foram descritas pelos (como não poderia deixar de ser) gregos como "frutas mamilos". Em pratos salgados, elas dão molhos incríveis que fizeram a glória da antiga cozinha francesa, regando magrets e confits de patos, entre outras caças. Um vinho que fica absolutamente incrível com molhos de frutas é o feito com a uva malbec. Com seus aromas florais de violeta, notas intensas de geléia de frutas supermaduras e sabor forte ela é o casamento ideal para estes pratos. Outra boa opção são os shiraz australianos sem muita madeira. Exuberantes e aromáticos, lembram também o figo bem maduro. Os espanhóis jovens da Ribera Del Duero, sem madeira, seguem a linha.



Mel, doces e chocolate

Os pratos de sobremesa estão cheios de ingredientes afrodisíacos. O mel já foi usado na cura para infertilidade e, não nos esqueçamos, dá nome à fase de comemoração do casamento: lua-de-mel. Muitas sobremesas de origem árabe levam mel aromatizado com água de rosas. Para este tipo de sobremesa escolha sempre vinhos doces da uva muscat, bem jovens.

O aroma da baunilha aumenta a luxúria, assim como alimentos do mesmo grupo aromático: coco, cacau ou chocolate e café. Nestes casos, boas opções são os moscatéis portugueses, mais fortes e envelhecidos. Quanto mais forte o sabor do prato, mais corpo podemos pedir dos vinhos. Dos Portos, os mais delicados são os tawny. Os rubys têm mais fruta. Os LBV assim como os Vintage têm mais extrato, com taninos mais intensos, mais corpo e mais força: ótimos para sobremesas com chocolate amargo, café e caramelos.

Mito ou verdade?

No entanto, há gente que diz que comida afrodisíaca não existe. Eu diria que não sei. Sei, porém, quase com certeza, que o sensual está na cabeça de todos nós. As comidas e as bebidas que comentei servem para exagerar e aguçar nossos bons sentidos e apaziguar os maus. Ou são apenas uma excelente desculpa para comer na cama com quem a gente mais deseja. Acompanhado de vinho, a festa é completa!

(Alexandra Corvo)

        Imprimir página