Prêmio para boas práticas nos rios do Pará

O Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial e Lacustre e das Agência de Navegação no Estado do Pará (Sindarpa), idealizado e presidido pelo empresário Eduardo Carvalho, marcou protagonismo nacional ao lançar a primeira plataforma técnica do Brasil voltada ao reconhecimento de boas práticas operacionais e de inovações tecnológicas incorporadas pelos Armadores e pelos Terminais Portuários (TUP/ETC) que contribuam para o aumento de eficiência aos processos logísticos e, sobretudo, possibilitem performance sustentável, através da mitigação de impactos ao meio ambiente durante as operações logísticas nos rios do Pará. A iniciativa tem a parceria da Associação dos Profissionais de Logística da Amazônia (Asplam), presidida por Alexandre Araújo, que também é diretor-executivo do Sindarpa.

Trata-se do projeto Navegar, premiação destinada a garantir que os aspectos socioambientais sejam alcançados através da implementação de uma operação mais limpa e, consequentemente, redutora dos impactos ambientais, com a redução das emissões atmosféricas, e a destinação responsável dos resíduos gerados por embarcações e terminais portuários no Pará. Podem concorrer ao prêmio armadores (Ro-Ro/granel sólido/granel líquido), passageiros, travessias fluviais e terminais portuários (TUPs/ETCs). Há três categorias: Excelência Logística e Performance Sustentável para as empresas; e Inovação Tecnológica para a Academia. Em cada uma delas, a escolha será a partir de lista tríplice. No caso de estudante, será entregue a premiação, bolsa em dinheiro e encaminhamento para estágio em empresa filiada ao Sindarpa. A solenidade de premiação está prevista para o mês de novembro, em Belém. 

Paralelamente, foi lançado também o Programa Fluvial de Logística Reversa, que pretende alcançar o pleno aproveitamento dos resíduos gerados pelo processo de pós-venda e consumo das bases socioeconômicas e tecnológicas disponíveis na região. A logística reversa é instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado pelo conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial/industrial, para reaproveitamento e reciclagem, em todos os ciclos produtivos, providenciando destinação final ambientalmente adequada. 

Sindarpa e Asplan precisam que a Agência apoie e chancele o programa, que poderá ser implementado a partir de um Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA). O primeiro passo já foi dado: Alexandre Araújo apresentou os dois projetos ao presidente da Antaq, Adalberto Tokarski, que deu sua aprovação. Ficou de ser assinado entre as partes um acordo de cooperação para formalizar o apoio da Agência ao programa de logística reversa.

A Universidade Federal do Pará, através do professor pós-doutor Hito Braga de Moraes, vice-diretor do Instituto de Tecnologia e coordenador do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Naval, também é parceira do projeto Navegar, além da Fenavega, presidida por Raimundo Holanda; do Siconapa, presidido por Fábio Vasconcelos; da Amport, presidida por Paulo Ivan Campos; e Praticagem da Barra, presidida por Miguel Salgado.

Compartilhe:

Campanha
Apoiadores
campanha